domingo, 20 de junho de 2010

True Blood S03E02 - "Beautifully Broken"

Morno e quase insosso

Alerta: o texto abaixo pode conter revelações não desejadas desse episódio que ainda não foi ao ar no Brasil

"Só temos B+ e o micro-ondas não está funcionando" - diz Tara para um misterioso cliente do bar no episódio de True Blood desse último domingo (20/06). Essa fala sintetiza bem o espírito de "Beatifully Broken", que também foi nos servido, no máximo, morno. Depois de uma estréia agitada, esse segundo episódio marcou passo e não tivemos praticamente nada de memorável acontecendo.

Algumas das poucas sacadas legais foram o banquete em Mississipi mostrando várias maneiras de se preparar e servir sangue e a expectativa de penetrarmos no passado, até então nada espetacular, de Sookie Stackhouse. A personagem bem que está precisando de um pouco de background que justifique o interesse de vampiros e outros seres especiais, como Sam e Maryann, por ela.

Os lobisomens, a bola da vez, não empolgaram e tudo indica que isso não deve mudar ao longo da temporada. Da maneira como foram retratados até agora, eles são um downgrade em relação à Sam (e sua recém-descoberta família transmorfa) que podem transfigurar-se em qualquer outro animal. Espero que o ângulo se altere e que a referência ao nazismo seja algo mais que um artifício para chamar a atenção para um conceito sem força própria.

True Blood está correndo com várias (e demasiadas) histórias paralelas, uma para cada personagem, inclusive para os coadjuvantes menores. Não parece haver qualquer ligação entre essas histórias e, para piorar, com exceção da do vampiro que parece ter informações sobre a origem de Sookie, nenhuma mostrou ainda algo que possa despertar o interesse do expectador.

O ritmo frenético do primeiro episódio, por enquanto, parece ter sido só para desviar atenção da falta de tramas fortes nesse começo de temporada.

Quero acreditar, no entanto, que logo alguma das subtramas vá encontrar a direção correta. Vamos ver!

3 comentários:

Leonardo disse...

Fã assíduo que sou da série, fica difícil concordar com seus comentários. Sobre esta 3a temporada, o 2o. episódio apenas apresentou os lobisomens e a simbiose destes com os vampiros, já que os primeiros se submetem à estes em troca de seu sangue. Certamente há mais por vir, resta-nos esperar. Quanto ao interesse dos vampiros por Sookie, certamente isso também será revelado ao seu tempo. Qual série revela seus mistérios no começo de uma temporada? O fato dela ser uma telepata, que concordo, realmente ficou em segundo plano nestes episódios da 3a temporada, por si só, já seria um motivo. Mas certamente vem mais por aí. "Só temos B+ e o microondas não está funcionando", frase de Tara no 2o. episódio, ao meu ver, ilustra de maneira incontestável o desdém dos humanos pelas necessidades dos vampiros, no caso uma minoria na realidade fantástica mas que poderia ser compreendido como o desdém pelo atendimento das necessidades de minorias raciais ou GLBT. Destaco também outras analogias com nossa sociedade como o tráfico e consumo de sangue de vampiro. A série trata com competência no universo imaginário vários dramas que permeiam a nossa sociedade humanamente real. Por fim, parabéns pelo blog, pena que não acompanho as demais séries para debater os comentários. Ainda! Abraços do seu amigo Leo.

Rodrigo Zago disse...

Léo,

Concordo com tudo o que você disse sobre a série.
Ela é uma de minhas preferidas também.

Na verdade, você só precisa considerar que estou analisando o episódio em si e não a série como um todo.
Não estou analisando tudo de bom que já teve nas duas primeiras temporadas (algumas coisas que você citou) e nem posso analisar o que ainda "vai acontecer".

Nesse episódio específico, houve muito pouco desenvolvimento do enredo (ou seja, foi muita enrolação) e praticamente nenhuma das subtramas conseguiu mostrar a que veio (ainda).

A fala que citei de Tara não foi pra discutir o que está por trás dela ou o que ela representa, mas apenas para fazer um paralelo com o que pensei do episódio.

True Blood é uma das minhas séries preferidas também, mas considerando que o produtor é Alan Ball, o cara que criou, escreveu e produziu "Six Feet Under", eu estou sempre com expectativas bem altas para ela.

Só em termos de comparação, estou também assistindo a quarta temporada de Dexter e nos primeiros dois episódios eles já estabeleram com sucesso qual vai ser a trama principal da temporada, apresentaram novos personagens bastante promissores, já colocaram o personagem principal numa situação que te deixou pensando "putz, e agora, como isso vai se resolver?" e ao mesmo tempo abriram e fecharam estórias nos próprios episódios deixando uma sensação de que cada um deles é suficiente por si mesmo.

True Blood pode ser (e já foi) muito melhor, mas ainda está derrapando nesse começo de temporada.

Abraços

Leonardo disse...

Discordo de novo, para mim a cada temporada está melhor. Talvez porque eu tenha visto todos os episódios na sequência, dado que quando comecei a acompanhar a série a 3a temporada já estava para começar. Anyway, o que seria do azul se todos gostassem do amarelo? Abrs, Leo.