quinta-feira, 19 de maio de 2011

The Big Bang Theory


Os Nerds contra-atacam

Apesar de ainda ser produzido no cansado, cansativo e praticamente falecido formato das sitcoms, as piadas baseadas em química, física astronomia e outros assuntos nerds  somados a um humorista revelação conseguem fazer de The Big Bang Theory uma daquelas poucas comédias ainda sendo exibidas que ainda podem ser realmente classificadas nessa categoria.

A primeira temporada e o começo da segunda foram realmente fora de série com diversas piadas inteligentes que surpreendiam pela inesperada conexão de assuntos cotidianos com conceitos elaborados de disciplinas mais complexas - a "fantasia de efeito Doppler sendo um dos muitos pontos altos. Jim Parson garantia o restante com os maneirismos incrivelmente engraçados de seu Sheldon Cooper - as expressões faciais do ator para diversas situações eram um espetáculo à parte.

Parsons é realmente quem carrega o show, ganha as melhores falas e tem a melhor performance, mas está bem acompanhado de Simon Helberg e seu diminuto engenheiro judeu Howard, que apesar de muitas vezes ser encarregado do humor físico, tira de letra em um estilo "engraçado-sem-nem-abrir-a-boca". Kaley Cuoco, a Penny, também não faz feio, mesmo sendo praticamente um artifício ambulante para possibilitar algumas piadas mais óbvias do confronto inteligência x sensualidade. 

Tanta qualidade, fazia o expectador virar os olhos para a porção mais banal e simplória do programa com seus estereótipos fracos, piadas físicas e seu plot principal tolo sobre a relação do nerd estranho com a loira gostosa e não tão esperta. Bem, é um programa de TV caro e precisa se pagar, então quanto mais público atingir, tanto melhor.

O problema é que com o passar dos tempos, apesar de os assuntos das piadas até variarem, começa a ficar visível que a estrutura delas é sempre a mesma e o humor físico e raso passa a ganhar mais espaço. A entrada, na quarta temporada, de Mayim Bialik e sua Amy Fowler, supostamente uma versão feminina do astro Sheldon,  não ajudou muito na revitalização da série e só deixou mais patente a reciclagem criativa que vinha acontecendo há algum tempo. 

Ainda assim , a terceira e a quarta temporada ainda conseguiram esconder algumas piadas frescas em meio ao reprocessamento de idéias, e ainda que os episódios mais recentes tivessem sido terríveis de aguentar,  nós na audiência ainda seguimos na inércia. Uma quinta, e provavelmente não final, temporada já começa agora em setembro e precisa desesperadamente de uma mudança de ares, quer seja de novos ambientes, novos personagens ou qualquer outro fator que altere minimamente a dinâmica entre os personagens já existentes.

Mesmo os nerds, que compõe usualmente o tipo de fã mais obstinado, não vão ser capazes de seguir acompanhando as mesmas situações e as mesmas piadas se repetindo eternamente.

2 comentários:

sofia martínez disse...

Melhor série de n geeks de todos os tempos, é o meu favorito. Eu sou definitivamente um fã de Sheldon Copper.

Elizabeth Resendiz disse...

Que ninguém dizer-lhe esta grande série da HBO , vê a estréia de sua segunda temporada em 17 de abril .